Saúde | Outubro Rosa

dia-mundial-do-cancer-fita-da-consciencia-do-cancro-da-mama-no-branco-backg_1232-3603

lá amigas leitoras, hoje o assunto por aqui é sério, pois outubro é o mês de conscientização da mulher em relação ao câncer de mama, então resolvi fazer um post especial com uma amiga que já passou pela doença para mostrar como é a vivência e a volta por cima ao lidar com o câncer.

Essa entrevista foi feita com uma amiga que se chama Flavia Cruz, tem 29 anos e é servidora pública. Acompanhei alguns momentos de perto e não pude deixar de notar o quanto o sorriso no rosto da Flavinha nunca desapareceu, sempre a vi como uma grande guerreira que lutou em pé pela sua vida, e me emociono demais com a história dela e como ela venceu essa doença, por isso resolvi dividir com vocês e fiquei muito feliz que ela topou falar comigo.

Ela começou me dizendo isso: “falar sobre o assunto é sempre uma forma de agradecer ao universo o que ele fez por mim!”

Com quantos anos você descobriu que tinha câncer de mama?

Quando eu descobri tinha 24 anos , ou seja estava fora do grupo de “risco”.

Quais foram os sintomas ou sinais sentidos ou percebidos?

Na verdade eu nunca senti nada, o câncer de mama, costuma ser algo silencioso, por isso a maioria dos casos  são detectados quando a doença já esta em estado avançado. Eu comecei a me preocupar de verdade quando a auréola (bico da mama) retraiu e começaram a aparecer manchas vermelhas na pele.

Flavia Cruz outubro rosa estilocurvas

Você fazia o autoexame antes de descobrir a doença?

Nunca fiz autoexame, e me envergonho muito disso, só comecei de fato a me preocupar comigo quando descobri que já estava doente, mas nunca é tarde, hoje faço exames periódico e uma vez por semana faço autoexame já que ainda tenho a mama esquerda conservada.

Já havia algum caso na sua família?

Os médicos costumam dizer que eu sou o raro do raro, não é comum o caso em jovens, que amamentaram e que não tem casos na família, mas aconteceu.

O que passou pela sua cabeça, teve medo?

No primeiro momento pensei: “vou morrer” (bobagem, comecei a viver de verdade!), depois recebi um banho de apoio, amor e carinho dos meus pais, filho, família, de amigos, de pessoas que eu nem conhecia da equipe médica que cuidou e ainda cuida de mim e principalmente de DEUS. Parei, pensei e me permiti viver com qualidade, fui buscar ajuda , informação médica, ler livros , referencia de pessoas passaram ou ainda passam  por isso. Decidi passar por tudo com fé, bom animo e esperança, e tudo deu muito certo.

Como foi o tratamento?

Meu tratamento foi um pouquinho diferente do comum, como sou muito jovem a proliferação celular costuma ser mais rápida ou seja a doença   é um pouco mais agressiva, fiz 4 quimioterapias vermelhas (neoadjacentes), 12 quimios brancas,  31 seções de radioterapia e  9 cirurgias: 2 de fator  clinico, ou seja para  retirada da mama e linfonodos e 7 corretivas (plásticas reparadoras), mas isso varia muito de paciente para paciente.

Flavia Cruz outubro rosa estilocurvas

Como foi perder a mama toda?

No primeiro momento eu não me preocupei muito, eu só queria ficar boa e ter minha saúde de volta , a mama era uma consequência mas, depois quando você se vê sem a mama começa a se sentir menos feminina e isso mexe demais com a autoestima.

Como ficou sua autoestima?

Eu era, e ainda sou extremamente feminina, foi um momento diferente  , usei e abusei de lenços, perucas e afins , andei careca (no calor é ótimo) , aprendi a me maquiar e mais do que isso aprendi a me amar , me respeitar e acima de quem te ama, vai amar de qualquer jeito, com peito, sem peito, com cabelo, sem cabelo e com 5 cicatrizes.

Flavia Cruz outubro rosa estilocurvas

Quais os direitos que os pacientes possuem?

O paciente oncológico possui alguns  direitos como: auxilio doença, reabilitação profissional, aposentadoria por invalidez (em alguns casos), isenção de imposto de renda,  IPTU, cirurgia de reconstrução de mama pelo SUS ou plano de saúde , compra de carro com isenção de IPI e ICMS, bilhete único especial (dependendo do município), isenção de IPVA e rodizio municipal , medicamentos pagos pelas Secretaria Estadual de Saúde e alguns medicamentos previstos na lista da ANS.  O instituto ONCOGUIA possui um programa nacional de apoio ao paciente com câncer para maiores informações sobre os direitos é só ligar: 0800-7731666 ou verificar no site: www.oncoguia.org.br

Quais lições você acha que aprendeu com a doença?

Aprendi que a hora de viver é AGORA, mais conhecido com JÁ , que nessa vida bem louca  (trabalho, escola , faculdade  e  etc) é preciso ter um tempo pra cuidar, dos nossos e principalmente da gente , que as vezes a gente tem que ser   matemática somar informação , multiplicar conhecimento , subtrair medos e dividir experiências  que não é egoísmos pensar um pouco em si, que dinheiro compra coisas, mas nunca saúde  e amor, que a fé (independente da sua religião) é um grão  que se plantado com carinho vai dar frutos na sua vida e na dos outros, e que acreditar é o melhor caminho pra cura , e que a cura vem mesmo que demora um tempo.

Flavia Cruz outubro rosa estilocurvas

Deixe um recadinho para as minhas amigas leitoras.

Outubro é o mês de prevenção e conscientização do câncer de mama, mas  você não precisa esperar outubro chegar pra lembrar de se amar , se toque, a prevenção é sempre o melhor caminho.

Flavia Cruz outubro rosa estilocurvas

Foto atual da Flavinha

Para maiores informações acesse Oncoguia que é o portal do paciente com câncer.

autoexame-cancer-de-mama

Gostaram? Deixem um recadinho aqui embaixo me contando tudo <3

Continue Reading

Se joga no biquíni

fullsizerender

Olá minhas amigas estilosas, estamos no início de mais um ano, com muita oportunidade para sermos felizes e deixarmos de lado tudo que nos faz mal e nos deixa triste!

Se você, assim como eu, já passou por uma fase da vida em que morria de medo de chegar o verão, de ter que ir à praia com sua própria família, receio de colocar um biquíni, de se divertir na piscina com os amigos, esse texto é para você.

Já estamos cansadas de saber que a sociedade impõe padrões loucos, que as pessoas nos julgam por sermos gordas, que existe o tal “projeto verão” onde só se pode ir à praia se você se encaixar em padrões. Com isso, nossa autoestima fica abalada com certeza, temos um processo enorme pela frente para nos aceitarmos e desencanarmos dessa loucura toda.

Já fiz um post aqui para ajudar na nossa autoestima , mas hoje quero te incentivar a se jogar no biquíni.

Por onde começamos?

O seu corpo é único, é perfeito, você tem saúde, você é uma pessoa bonita, amável, carinhosa, porque odiar o exterior?

– Mas Aline, eu nunca usei um biquíni em toda minha vida, não tenho coragem de me expor…

Amiga, sei que é um processo de anos de opressão estética, que passamos uma vida inteira bombardeadas com revistas e modelos que nos impõe que usemos o tamanho 36 para sermos consideradas bonitas, somos julgadas por nossas próprias famílias praticando gordofobia em nossas reuniões, sei que algum dia nessa vida já fomos humilhadas na escola, na rua e no trabalho por sermos gordas. Mas o que podemos fazer em relação a isso?

Desapegar, desapegar da opinião alheia, ignorar mesmo, viver sua vida da sua maneira, esquecer que está rodeada por gordofóbicos e se permitir usar o que quiser no verão, na primavera, no inverno, em casa, na rua. Temos todo o direito do mundo em sermos felizes como somos, não estamos pedindo nenhum favor pra ninguém, queremos ser respeitadas como seres humanos.

Estamos vivendo em uma época em que as marcas plus size estão investindo na moda praia (até que enfim), hoje em dia temos as mesmas opções de biquínis da grade comum, são peças muito bem elaboradas, confortáveis, bonitas, sexys, então devemos aproveitar esse momento e encontrar algo que nos deixe confortável, aqui tem uma lista de lojas que vendem biquínis plus size maravilhosos <3

Claro que tudo isso é um processo e a vontade de se jogar em um biquíni tem que vir de dentro, a vontade de provar aquele hotpants lindo tem que vir de você, pode ser um modelo tomara que caia, pode deixar o umbigo de fora, pode ser até um maiô pra começar, você pode ir usando só quando tiver com o marido na piscina de casa, ou só com a família na praia, e aos poucos estará usando com todo mundo e tacando um belo de um foda-se!! Pode ser que a busca pelo biquíni perfeito demore um pouco, mas quando você encontrar, se jogar e se libertar não vai querer nunca mais passar calor de camiseta e bermuda enquanto todo mundo está aproveitando o verão de biquíni.

Respeite suas vontades, não deixem que te falem o que é certo e o que é errado, não deixe que olhares maldosos te roubem mais um verão. Se joga no biquíni!!!!

Enjoy it!

Continue Reading